Kuczynski pede união para crescer e critica Poder Judiciário

Lima, 2 dez (EFE).- O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pediu aos líderes políticos e empresários do país para ter convicção e união em torno dos grandes temas nacionais para que o país possa crescer com justiça social e disse que também é necessário "enfrentar setores complicados como o Poder Judiciário".

Em seu discurso de encerramento da Conferência Anual de Executivos (Cade) 2016, Kuczynski pediu aos líderes do país para que se concentrem com a necessidade de crescer e distribuir.

O presidente peruano afirmou que a economia do país "cresce pouco e não é suficiente para eliminar a pobreza", que afeta 23% da população, ou seja, entre 7 e 8 milhões de habitantes.

Nesse sentido, o mercado que deveria ser de 32 milhões de habitantes, é de apenas 24 milhões, como há 20 anos, disse.

"A pobreza reduz o mercado e gera imensas tensões sociais", avaliou Kuczynski, perante um auditório de mil empresários na cidade de Paracas.

Kuczynski afirmou que a desordem e a corrupção "cresceram nos últimos anos" e é preciso "botar um ponto final nisso", o que significa "enfrentar setores complicados como o Poder Judiciário", ao qual qualificou de "velho" e de ter leis antiquadas.

O presidente parabenizou o ministro do Interior, Carlos Basombrío, por "começar a limpar a Polícia (com a reforma de 790 oficiais), coisa que era fundamental".

O chefe de Governo ressaltou que a formalização do emprego no país vai ter um efeito imenso na economia porque vai livrar a nação da dependência dos preços dos minerais e "vai gerar uma revolução de crédito no Peru".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos