Merkel lamenta resultado de referendo italiano, mas diz é preciso respeitá-lo

Essen (Alemanha), 5 dez (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, lamentou nesta segunda-feira o resultado do referendo na Itália, no qual foi rejeitada a reforma constitucional proposta pelo primeiro- ministro Mateo Renzi, mas acrescentou que se trata uma decisão popular que é preciso respeitar.

"Estou triste pelo referendo na Itália não ter saído como esperava o primeiro-ministro", disse Merkel a um grupo de jornalistas antes do começo do congresso de seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU), em Essen (oeste da Alemanha).

"Sempre defendi seu curso reformista", disse a chanceler alemã se referindo a Renzi.

Depois, Merkel acrescentou: "naturalmente, estamos perante uma decisão italiana que temos que respeitar".

O ministro da Economia e vice-chanceler, Sigmar Gabriel, já tinha lamentado o resultado do plebiscito de ontem e dito que esperava que o curso de modernização prosseguisse na Itália.

"É triste para Mateo Renzi e é triste para a Itália. Espero que o processo de modernização prossiga, pois somente os populistas tirariam proveito da estagnação", disse Gabriel.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos