Ao menos 165 sírios foram mortos por guardas turcos este ano, diz OSDH

Beirute, 6 dez (EFE).- Pelo menos 165 civis sírios morreram este ano por ataques da guarda fronteiriça da Turquia quando tentavam atravessar da Síria para o território turco, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Entre esses mortos, há pelo menos 31 menores de idade e 15 mulheres que tentavam fugir da violência em seu país.

Os últimos são sete pessoas que morreram ontem por disparos dos guardas turcos em três regiões sírias limítrofes com a Turquia.

O OSDH denunciou que as autoridades turcas impedem com esses ataques a passagem de sírios para seu território, não só com disparos, mas também com agressões nas quais utilizam pedaços de pau, golpes com rifles e objetos pontiagudos.

Ontem, os corpos de três jovens sírios foram encontrados perto da cidade de Al Darbasiya, no norte da província síria de Al Hasaka, após terem sido deixados por guardas fronteiriços turcos nesse local, apontou o OSDH, que citou fontes médicas e moradores da região.

Os corpos apresentavam sinais de tortura e marcas de objetos pontiagudos.

Além disso, existem temores pela situação de outros 15 jovens sírios, que se encontravam com as vítimas e que estão em paradeiro desconhecido.

Alguns dos jovens trabalhavam como contrabandistas na fronteira entre os dois países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos