Governo turco ordena prisão de 87 acadêmicos e líder de um partido

Istambul, 9 dez (EFE).- A polícia da Turquia realizou nesta sexta-feira uma operação em vários domicílios após receber a ordem de prisão de 87 acadêmicos da Universidade de Istambul.

Entre os suspeitos há professores, acadêmicos adjuntos e inclusive o líder do partido liberal não parlamentar "Merkez", segundo informou o jornal "HaberTurk".

De acordo com a acusação, os acadêmicos são acusados de ter ligações com a confraria de Fethullah Gulen, a quem Ancara acusa de ser o responsável pela fracassada tentativa de golpe de estado fracassado no dia 15 de julho.

É a primeira vez que é ordenada a prisão do líder de um partido político por supostos vínculos com a confraria de Gulen.

Antigos aliados de Erdogan, os gulenistas teriam se infiltrado supostamente no aparelho do Estado, controlando sobretudo as forças de segurança e o judiciário.

Nos meses seguintes ao golpe, foram presos mais de 50 mil pessoas, das quais mais de 30 mil seguem em prisão preventiva.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos