Gentiloni apresenta ministros e muda Interior, Educação e Desenvolvimento

Roma, 12 dez (EFE).- O próximo primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, apresentou nesta segunda-feira ao presidente da República, Sergio Mattarella, a lista de seus ministros, na qual as principais mudanças afetaram as pastas de Interior, Educação e Desenvolvimento Econômico.

Após uma reunião de cerca de uma hora com o presidente Mattarella, Gentiloni divulgou a lista de seus ministros, que apresenta poucas mudanças em relação com a de seu antecessor no cargo, Matteo Renzi. Depois do encontro, o novo premiê disse que "continuará o trabalho de inovação feito por Renzi".

No Ministério de Relações Exteriores, cargo que Gentiloni ocupava, entrará o conservador Angelino Alfano, até o momento titular de Interior, uma pasta que agora será conduzida pelo esquerdista Marco Minniti. Já a vice-presidente do Senado, Valeria Fedeli, substituirá Stefania Giannini na Educação.

Outra das mudanças ocorrerá no Ministério para as Relações com o Parlamento. Anna Finocchiaro substituirá Maria Elena Boschi, ministra-chave de Renzi e que será agora subsecretária da presidência.

Além disso, Gentiloni criou dois novos ministérios: o de Coesão Territorial e do Sul, que será comandado por Claudo de Vicenti, e de Esporte, dirigido por Luca Lotti.

Continuam nos cargos os ministros da Economia, Pier Carlo Padoan, de Justiça, Andrea Orlando, de Defesa, Roberta Pinotti, de Infraestrutura, Graziano Delrio, de Saúde, Beatrice Lorenzin, de Agricultura, Maurizio Martina, e de Trabalho, Guiliano Poletti.

Além deles, permanecem em seus postos Gianluca Galletti, no Meio Ambiente, Dario Franceschini, na Cultura, nos Assuntos Regionais, Enrico Costa, na Simplificação da Administração Pública, Marianna Madia, e no Desenvolvimento Econômico, Carlo Calenda.

A criação de um ministério para o sul do país, disse Gentiloni, é para atender demandas específicas da região. "O país não pode ignorar as formas de mal-estar, especialmente nas áreas mais frágeis da classe média, sobretudo no sul, onde o desemprego é uma emergência mais dramática do que em outros pontos".

O próximo primeiro-ministro da Itália prestará juramento para assumir o cargo ainda hoje. A posse deve ocorrer entre amanhã e quarta-feira, quando o nome de Gentiloni será votado em duas sessões na Câmara dos Deputados e no Senado.

Gentiloni chega ao poder para substituir Renzi, que renunciou após ser derrotado no referendo realizado no último dia 4 e que pretendia fazer uma reforma constitucional no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos