EUA afirmam que não podem confirmar "veracidade" do cessar-fogo em Aleppo

Washington, 13 dez (EFE).- O governo dos Estados Unidos afirmou nesta terça-feira que não pode confirmar ainda "a veracidade" do acordo de cessar-fogo em Aleppo, no norte da Síria, mas acrescentou que, se for verdadeiro, será bem-vindo.

"Não posso confirmar a veracidade destas informações, que este cessar-fogo foi, de fato, alcançado (...) Vamos vigiar isto de maneira estreita", declarou John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, em sua entrevista coletiva diária.

"Obviamente, se é certo e foi alcançado um cessar-fogo que não só detém o bombardeio e a violência, mas também permite às pessoas sair com segurança de Aleppo, lhe daríamos as boas-vindas", acrescentou.

No entanto, o porta-voz americano afirmou que se trata "de julgar ações, não palavras". "O que queremos é paz, não promessas", ressaltou.

Em qualquer caso, Kirby ressaltou que a queda de Aleppo "não representa o fim da guerra" e urgiu as diferentes facções a voltar à mesa de negociação política.

O presidente do escritório político do opositor Agrupamento Fastaqim, Zakaria Malahifyi, afirmou à Agência Efe que o cessar-fogo já começou na cidade de Aleppo, após o acordo alcançado para uma evacuação dos insurgentes.

Malahifyi destacou que o acordo foi negociado entre as facções e a Rússia, e que compreende um cessar-fogo e a evacuação dos rebeldes e dos civis que desejem deixar os bairros sitiados do leste de Aleppo.

Por sua parte, o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, anunciou em Nova York que as forças armadas sírias, apoiadas por Moscou, já controlam toda a cidade de Aleppo e paralisaram suas operações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos