Apesar de decisão judicial, Catalunha mantém referendo independentista

Barcelona, 15 dez (EFE).- O presidente do governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, comunicou nesta quinta-feira que irá manter o roteiro para a celebração de um referendo de independência em 2017, apesar da suspensão determinada ontem pelo Tribunal Constitucional da Espanha.

Puigdemont afirmou que a suspensão decretada pelo Tribunal Constitucional não representa "nenhuma suspensa", mas evidência o "populismo" na Espanha. Além disso, disse que determina que os catalães não têm o direito de debater no parlamento regional iniciativas relacionadas com o processo separatista.

O presidente regional da Catalunha afirmou que manterá o processo "defensor da soberania" e a cúpula de forças soberanistas prevista para ocorrer no dia 23 de dezembro, em Barcelona, porque essa foi uma decisão do povo. "Não há nenhum sistema democrático que possa impedir isso", afirmou Puigdemont.

Na resolução de ontem, o Tribunal Constitucional da Espanha alertou Puigdemont e a presidente do parlamento regional da Catalunha, Carme Forcadell, sobre as responsabilidades - inclusive penais - envolvidas caso mantenham a convocação do referendo.

Não é a primeira vez que o principal órgão judicial do país atua contra uma decisão independentista adotada pelo parlamento regional da Catalunha. Forcadell já tem um processo contra ela por desobedecer a suspensão anterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos