Ministro turco confirma que policial matou embaixador russo em Ancara

Ancara, 19 dez (EFE).- O ministro do Interior da Turquia, Süleyman Soylu, confirmou que o homem que assassinou o embaixador russo no país, Andrey Karlov, nesta segunda-feira é um policial que fazia parte das forças especiais da capital.

Nascido em 1994, em Söke, uma cidade no oeste da Turquia, o atirador foi identificado como Mevlüt Mert Altintas. Ele estava há dois anos e meio nas forças especiais, afirmou o ministro em entrevista coletiva realizada após o ataque.

O embaixador russo morreu no hospital depois de ter sido atingido pelas costas por Altintas, que aproveitou que o diplomata faria um discurso durante uma visita a uma exposição fotográfica dedicada à Rússia para promover o ataque.

Após o ataque, outros policiais turcos invadiram a sala onde estava o embaixador e mataram o atirador. Três dos agentes ficaram feridos, mas sem gravidade.

Soylu não deu detalhes sobre a possível motivação do assassino. Pouco antes, porém, o ministro da Defesa, Fikri Isik, destacou a "coincidência" de o atentado ter ocorrido na véspera do encontro em Moscou dos chanceleres da Rússia, Irã e Turquia para dialogar sobre o conflito na Síria.

As autoridades da Turquia prometeram que levarão aos responsáveis pelo ataque à Justiça. Horas depois, a polícia local prendeu a mãe e a irmã de Altintas na cidade de Söke, informou o jornal "Hürriyet".

As duas mulheres foram levadas a uma delegacia para serem interrogadas, enquanto os agentes revistam o imóvel onde elas moram. EFE

dt-iut/lvl

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos