Síria, Iraque e Egito condenam atentado contra embaixador russo na Turquia

Beirute/Cairo, 19 dez (EFE).- Os governos da Síria, do Iraque e do Egito condenaram nesta segunda-feira o assassinato do embaixador da Rússia na Turquia, Andrey Karlov, morto a tiros em Ancara.

O regime do presidente da Síria, Bashar al Assad, condenou "categoricamente" o atentado, de acordo com a agência oficial de notícias do país "Sana".

Uma fonte do Ministério das Relações Exteriores da Síria afirmou em comunicado, também divulgado pela "Sana", que esse "crime atroz reafirma a necessidade de utilizar todos os esforços e capacidades para combater o terrorismo e vencê-lo".

Além disso, a diplomacia síria expressou condolências à família do embaixador e também ao povo e ao governo da Rússia, principal aliado de Al Assad ao lado do governo do Irã.

Desde setembro de 2015, a Rússia realiza uma campanha de bombardeios no território da Síria para ajudar Al Assad na luta contra os rebeldes.

Karlov foi morto pelos disparos de um policial turco durante a inauguração de uma exposição fotográfica sobre a Rússia em Ancara. Depois de disparar contra o diplomata, ele gritou que estava agindo pela situação enfrentada pela Síria, especialmente em Aleppo.

O Ministério das Relações Exteriores do Iraque, em comunicado, classificou o atentado de um "ato terrorista" e expressou "sentimento de dor", ressaltando a importância de manter a segurança de todas as missões diplomáticas.

Já o Egito classificou o ataque como uma "operação terrorista", expressou solidariedade à Rússia e manifestou apoio a Moscou e a "qualquer esforço internacional que tenha como objetivo acabar com o terrorismo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos