Grupo armado curdo TAK reivindica ataque contra soldados turcos de sábado

Istambul, 20 dez (EFE).- O grupo armado "Falcões de Liberdade do Curdistão" (TAK) reivindicou nesta terça-feira o atentado com carro-bomba contra um ônibus militar que causou a morte de 14 soldados na cidade turca de Kayseri no sábado.

O grupo é uma cisão radical do Partido dos Trabalhadores de Curdistão (PKK), a guerrilha curda, embora o governo turco o considere simplesmente uma "marca subsidiária" do PKK para cometer atentados e evitar uma má imagem.

"Os soldados do Kayseri estiveram na vanguarda da guerra de genocídio contra a população curda durante anos, que derramou o sangue de milhares de pessoas", manifestou o TAK em comunicado divulgado em seu site.

O vice-primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus, tinha dito que a guerrilha PKK era a provável autora do ataque.

O atentado aconteceu no sábado de manhã, quando um carro-bomba explodiu contra um ônibus no qual viajavam soldados em Kayseri, no centro do país. Na ocasião, 14 pessoas morrera e 56 ficaram feridas.

O TAK também reivindicou o duplo atentado de 10 de dezembro em Istambul, com 44 mortos, 36 deles policiais.

O grupo se atribuiu diversos ataques e atentados desde 2004, e só em 2016 reivindicaram uma dezena de ações com oito agressores suicidas, a maioria contra unidades da Polícia em Ancara e Istambul. EFE

lvm/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos