Ministro alemão confirma que detido após atentado é refugiado paquistanês

Berlim, 20 dez (EFE).- O homem detido após o atentado terrorista cometido ontem em Berlim, no qual morreram 12 pessoas, é um solicitante de asilo nascido no Paquistão e nega seu envolvimento no ocorrido, informou nesta terça-feira o ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière.

O suspeito entrou na Alemanha em 31 de dezembro de 2015 e seu pedido de asilo estava sendo analisado, acrescentou o ministro, que destacou que o processo de análise de sua solicitação foi complicado por dificuldades idiomáticas, entre outros obstáculos para esclarecer sua situação.

O homem foi detido pouco depois do ataque, do qual, segundo o ministro "não há dúvida que já se tratou de um atentado", e que ocorreu com a invasão de um caminhão de matrícula polonesa em um mercado de rua natalino da capital alemã.

Entre as 12 vítimas mortais estava um cidadão polonês, aparentemente o carona do caminhão, que morreu em consequência de um disparo, segundo o ministro.

Perguntado sobre se suspeito estava armado, de Maizière respondeu que não foi encontrada nenhuma pistola, para acrescentar que além disso não se sabe quando tal tiro aconteceu.

O ministro confirmou, além disso, que nesta madrugada foi revistado o centro de refugiados instalado no antigo aeroporto de Tempelhof, no centro urbano da capital alemã, embora não deu mais detalhes da operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos