Líbano confirma morte de cidadão no atentado em Istambul

Beirute, 1 jan (EFE).- O governo do Líbano confirmou que pelo menos um cidadão libanês morreu e sete ficaram feridos no atentado cometido na festa de Réveillon da boate Reina, em Istambul, informou neste domingo a Agência Nacional de Notícias (ANN).

O ministro de Estado para o Planejamento, Michel Faraon, comprovou a morte de Elias Wardini, de 27 anos, e informou que sete libaneses ficaram feridos, e dois deles já foram operados.

A cidadã Rita Chemali, que estava na festa, está em paradeiro desconhecido, segundo afirmou a família a veículos de imprensa locais.

Pouco antes do anúncio oficial da morte de Wardini, a irmã da vítima pediu ajuda das autoridades libanesas nas buscas. Segundo a agência "ANN", a namorada, ferida no ataque, relatou que se escondeu debaixo de uma mesa quando o terrorista começou a atirar contra o público.

A imprensa libanesa afirma que Wardini se jogou no Bósforo, como várias pessoas fizeram para tentar fugir quando os terroristas começaram a atirar na boate.

O ataque, que deixou 39 mortos e mais de 60 feridos, foi condenado pelo presidente Michel Aoun, que enviou uma mensagem de pêsame ao líder turco, Recep Tayyip Erdogan.

"Este ato condenável demonstra a importância da cooperação e da coordenação entre todos os países para enfrentar o terrorismo e eliminá-lo de vez", afirmou no texto.

Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, embora a polícia turca concentre as investigações no grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos