ONU critica comportamento de integrantes de sua missão na Colômbia

Bogotá, 2 jan (EFE).- A Missão da ONU na Colômbia qualificou nesta segunda-feira como "inadequado" o comportamento de dois integrantes de sua missão de observadores no país, que aparecem em um vídeo dançando com guerrilheiras das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em um acampamento onde os rebeldes estão agrupados antes de iniciar seu trânsito à vida civil.

As imagens foram gravadas pela Agência Efe na véspera do Ano Novo em um acampamento das Farc nos arredores do casario de Conejo, no departamento caribenho de La Guajira, onde está situada uma das Zonas de Vereda Transitória de Normalização (ZVTN), nas quais os guerrilheiros deverão se reunir antes de deixar as armas e se desmobilizar.

Na gravação, divulgada no dia 1º de janeiro pela Efe, é possível ver dois representantes da ONU, vestidos com o colete azul que os identifica como observadores dessa organização, dançando com duas guerrilheiras ao ritmo da música típica dessa região da Colômbia.

"Este comportamento é inadequado e não reflete os valores de profissionalismo e imparcialidade da Missão. A Missão da ONU na Colômbia tomará as medidas que correspondam", afirmou a organização em comunicado no qual fixa sua posição pelo vídeo que gerou polêmica entre políticos colombianos.

A ONU ainda acrescenta que a Missão na Colômbia "reitera à opinião pública seu total compromisso com uma verificação objetiva e rigorosa do Acordo de Cessar-Fogo Bilateral e Definitivo e do Abandono de Armas".

O acampamento das Farc onde foram gravadas as imagens está a cerca de cinco quilômetros de distância de Pondores, o lugar onde se situa a ZVTN que abrigará os guerrilheiros e que inclui um posto da Missão de Monitoração e Verificação (MM&V), mecanismo tripartite do qual fazem parte representantes da ONU, do governo colombiano e da guerrilha.

Ao comentar o vídeo publicado em veículos de comunicação colombianos, a congressista María Fernanda Cabal, do opositor partido Centro Democrático, fundado pelo ex-presidente e senador Álvaro Uribe, disse que não se pode confiar no processo de verificação feito pela ONU.

"É uma vergonha isso que aconteceu. A ONU deve demonstrar que faz seu papel com seriedade e não estar participando de farras natalinas. A ONU é uma empresa burocrática internacional que não faz sentido", disse Cabal à emissora "Caracol Radio".

O senador Juan Diego Gómez, do Partido Conservador, declarou à mesma emissora que o governo deve dar mais atenção a esse tipo de denúncia porque "gera muitíssima desconfiança. É um manto de dúvida sobre a efetividade do processo".

Já o senador Armando Benedetti, do Partido Social de União Nacional, que faz parte da coalizão de governo, comentou que esse tipo de coisa não deve acontecer, mas criticou as legendas de oposição por utilizá-la com fins políticos.

"A oposição também não deve dramatizar as coisas como estão fazendo. Dançar e beber não está proibido e devemos celebrar que estejam dançando e não disparando balas. Acredito que não podemos cair no erro de dizer que por essas coisas se prejudicou o processo de paz", disse o parlamentar à "Caracol Radio".

O governo colombiano e as Farc assinaram no último dia 24 de novembro, em Bogotá, um novo acordo de paz que está sendo implementado atualmente no Congresso por meio de várias leis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos