Hamas lança campanha de detenções em massa de jihadistas e salafistas em Gaza

Gaza, 4 jan (EFE).- As forças de segurança do movimento islamita Hamas, que governa a Faixa de Gaza desde 2007, detiveram e interrogaram dezenas de jihadistas e salafistas durante as últimas semanas, informou nesta quarta-feira à Agência Efe uma fonte de segurança.

"É a maior campanha de detenções que o Hamas já fez contra grupos jihadistas e salafistas na Faixa nos últimos dez anos", explicou a fonte, que pediu para não ser identificada, e acrescentou que "cerca de 350 pessoas foram detidas para serem interrogados".

Também foram levados para prestar esclarecimentos dezenas de detentos em prisões do território palestino, acusados de contrabando de dinheiro e armas para o Egito para a realização de atentados.

O movimento islamita lançou esta campanha contra esses grupos após averiguar que os mesmos tinham a intenção de atacar as forças de segurança do Hamas e para compilar informação sobre possíveis vínculos com organizações armadas salafistas e jihadistas ativas na península do Sinai.

O porta-voz do Ministério do Interior do Hamas, Eyad al Bozom, rejeitou fazer comentários sobre as detenções de integrantes desses grupos na Faixa.

O analista político palestino Eyad al Qarra declarou à Efe que as relações entre Hamas e Egito estão experimentando uma melhora significativa e que esta campanha parece fazer parte desta aproximação.

"Os laços entre o Hamas e as autoridades egípcias são os mais próximos desde julho de 2013, quando os acordos eram limitados e necessitavam de uma iniciativa do Egito para a libertação de prisioneiros do Hamas das prisões egípcias e a reabertura da passagem fronteiriça de Rafah", afirmou Qarra.

O Hamas manifestou sua disposição para controlar a fronteira que compartilha com o Egito e cooperar, superando o distanciamento que houve depois que o movimento islamita declarou apoio à Irmandade Muçulmana no Cairo, após o golpe de Estado militar que tirou do poder o dirigente Mohammed Mursi, explicaram as fontes de segurança consultadas.

O especialista em organizações islâmicas Adnan Abu Aamer, por sua vez, disse à Efe que as medidas atuais do Hamas são "positivas".

"As medidas das forças de segurança do Hamas, tanto as detenções como o controle das áreas fronteiriças com o Egito, conduziriam a uma melhora das relações", avaliou o professor de Ciência Política da Universidade Al Ummah, na Faixa de Gaza.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos