Polícia turca prende 27 supostos membros do EI devido ao ataque em Istambul

Istambul, 4 jan (EFE).- A polícia da Turquia prendeu nesta quarta-feira 27 supostos membros do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na província de Esmirna, no oeste do país, por sua suposta vinculação com o ataque na boate "Reina", realizado no último domingo.

Segundo o jornal "Hurriyet", os detidos, entre eles vários menores, pertencem a três famílias da Ásia Central que supostamente conviviam com o atacante na cidade de Konya, no centro da Turquia, e que tinham fugido de seus lares após o atentado.

A unidade antiterrorista realizou uma operação em quatro residências de Esmirna, e segundo os serviços de segurança, a ação continua.

Outras 16 pessoas foram detidas em Istambul e em Konya entre domingo e ontem por seu suposto envolvimento ao ataque na famosa boate, que causou 39 mortes e deixou 65 feridos.

O agressor, cuja identidade as autoridades afirmaram conhecer, segue foragido da Justiça.

Entre os detidos está a mulher do atacante, que declarou a polícia não saber que seu marido pertencia ao EI.

Segundo as investigações, o líder da célula do grupo terrorista que realizou o ataque estava em Konya, responde pelo pseudônimo de "Yousef Hoca" e teria organizado a viagem do atacante de Konya para Istambul.

Supostamente, "Yousef Hoca" teria enviado o suspeito a uma casa no bairro Zeytinburnu, em Istambul.

Após o atentado, o fugitivo mudou duas vezes de táxi e chegou até Zeytinburnu, onde recolheu dinheiro de um restaurante uigur, uma etnia de Ásia Central.

Dos 16 detidos mencionados acima, sete foram detidos nesse restaurante uigur.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos