Militares envolvidos em tentativa de golpe pegam prisão perpétua na Turquia

Istambul, 5 jan (EFE).- Um tribunal de Erzurum, no leste da Turquia, condenou nesta quinta-feira o coronel Murat Kolçak e o comandante do Exército Murat Yilmaz à prisão perpétua por sua participação no fracassado golpe de Estado do ano passado, informou o jornal "Birgün".

Os militares serviam como altos comandantes em Erzurum, província onde nasceu o clérigo islamita Fethullah Gülen, a quem Ancara acusa de orquestrar o levante.

Essas são as primeiras condenações ditadas por um tribunal turco desde o golpe fracassado no último dia 15 de julho.

Ambos os militares eram usuários do aplicativo "Bylock", supostamente desenvolvido para permitir uma comunicação cifrada entre os seguidores Gülen, exilado nos Estados Unidos.

A imprensa da Turquia assinalou que cerca 55 mil pessoas usavam "Bylock" no país e todas elas são suspeitas de pertencer à rede do clérigo islamita.

Desde a tentativa de golpe, as autoridades turcas detiveram e suspenderam de seus cargos milhares de policiais, militares, juízes, professores e funcionários de diferentes repartições públicas, acusados de serem seguidores de Gülen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos