Ex-diretor de jornal alemão é denunciado por assédio sexual

Berlim, 6 jan (EFE).- Uma funcionária do grupo de comunicação Springer processou o ex-diretor do jornal "Bild" Kai Dieckmann por assédio sexual, segundo confirmou nesta sexta-feira a promotoria de Potsdam após a imprensa local ter antecipado informações sobre o caso.

A mulher afirma ter sido observada por Dieckmann no ano passado, durante uma conferência do grupo em Potsdam, enquanto tomava banho. O grupo Springer admitiu conhecer a versão da mulher, que se dirigiu ao consórcio imediatamente depois dos fatos, mas assegura que após estudar o caso com os recursos que estavam a seu alcance não pôde encontrar um comportamento delitivo por parte de Dieckmann.

Para esclarecer definitivamente os fatos, e com o consentimento de Dieckmann, o caso teria sido encaminhado à promotoria. O jornalista, que foi diretor dos dois principais jornais do grupo - "Bild" e "Die Welt" - anunciou no final do ano passado que nos últimos dias de janeiro de 2017 deixaria o cargo de diretor-geral do consórcio.

No entanto, o grupo assegura que a saída de Dieckmann não está relacionada com o suposto caso de assédio sexual e que se trata de uma decisão que já havia sido tomada há mais de um ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos