Chanceler panamenha: "Subornos da Odebrecht eram segredo e ninguém sabia"

Panamá, 8 jan (EFE).- A chanceler e vice-presidente do Panamá, Isabel de Saint Mau, afirmou que os subornos que a Odebrecht pagou no Panamá eram um "segredo que ninguém sabia", mas que agora, que não há "lugar para dúvidas", a empresa deve devolver o dinheiro que desviou.

"Com as publicações de fim de ano (da Justiça dos Estados Unidos) isso deixou de ser um bochinche (intriga) e deixou de ser um segredo que ninguém sabia, e é algo que está documentado", disse De Saint Mau em uma entrevista ao canal local de televisão "RPC".

A chanceler disse que a informação proveniente do Departamento de Justiça dos EUA sobre o pagamento de US$ 59 milhões em subornos a funcionários panamenhos e familiares entre 2009 e 2014, "deixa em evidência, sem lugar de dúvidas", que a construtora brasileira aplicou esta prática no país centro-americano.

A construtora pagou aproximadamente US$ 788 milhões em comissões em mais de cem projetos em 12 países de América Latina e África, de acordo com os documentos americanos, revelados em dezembro passado. EFE

ev/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos