Gravação revela troca de favores entre premiê de Israel e empresário

(Atualiza com a identidade de empresário e mais informações).

Jerusalém, 8 jan (EFE).- A investigação policial que envolve o primeiro-ministro de Israel por suspeitas de corrupção inclui uma gravação de áudio que mostra uma troca de favores entre Benjamin Netanyahu e um empresário, garantiu neste domingo o jornal "Haaretz".

De acordo com essa publicação e o "Channel 2" da TV israelense, que apresentou a identidade do empresário, a investigação contém entre as provas uma fita na qual o editor do jornal "Yedioth Ahronoth", Arnon Mozes, se oferece para apoiar a liderança de Netanyahu, para que este se mantenha no poder, em troca de importantes benefícios e favores.

A emissora de TV garantiu que foi o próprio Mozes quem gravou Netanyahu quando propôs um acordo para melhorar a cobertura midiática do primeiro-ministro.

O jornal "Yedioth Ahronoth" é o principal concorrente do gratuito "Israel Hayom", propriedade do multimilionário judeu americano, Sheldon Adelson, e amigo próximo de Netanyahu, acrescentou a emissora.

As supostas provas estariam incluídas em um dos dois casos que a polícia investiga desde o ano passado, conhecido como Caso 2000, do qual não foram revelados mais detalhes, mas que a imprensa local descreve como "o mais grave".

Netanyahu foi submetido a dois interrogatórios policiais em uma semana, primeiro um de três horas na segunda-feira sobre a suposta receptação irregular de presentes valiosos; e o segundo, de cinco horas, na quinta-feira, sobre o caso considerado mais sério no qual o premiê é acusado de crimes maiores.

Netanyahu se mostrou surpreso "pelas evidências contra ele" que a polícia apresentou durante os interrogatórios, acrescentou o "Haaretz", mencionando fontes próximas a Netanyahu.

Em relação ao primeiro caso, denominado Caso 1000, a emissora israelense "Channel 10" revelou na sexta-feira que o primeiro-ministro também teria usado seus vínculos com o secretário de Estado americano, John Kerry, para ajudar o produtor israelense, Arnon Milchan, a adquirir um visto americano.

Netanyahu reconhece que recebeu presentes, mas garante que os mesmos são apenas troca de gentilezas normais entre amigos e negou ter cometido qualquer irregularidade, segundo a imprensa local.

A Procuradoria afirmou em comunicado após o primeiro interrogatório que as questões que estão sendo investigadas têm relações com possíveis crimes de "integridade moral" e garantiu ter provas que justificam a abertura de uma investigação criminal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos