Senado se prepara para rodada de audiências para aprovar gabinete de Trump

Alfonso Fernández.

Washington, 8 jan (EFE).- Os escolhidos para integrar a equipe de governo do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, começam a submeter-se nesta semana a audiências de ratificação no Congresso, entre eles alguns dos mais polêmicos, como Jeff Sessions, o nomeado para ser o novo procurador-geral do país.

Sessions será o primeiro a comparecer na terça-feira perante o comitê judicial do Senado.

O ex-senador pelo Alabama se submeterá às perguntas de seus colegas até poucos meses atrás para se transformar em uma das principais pontas de lança do governo de Trump, que insistiu em sua promessa eleitoral de construir um muro na fronteira com o México para deter o fluxo migratório.

A escolha de Sessions, conhecido opositor à reforma integral do sistema migratório, foi criticada de maneira frontal por grupos de defesa dos direitos dos imigrantes ilegais e se espera uma dura sessão por parte dos legisladores democratas.

Também na terça-feira estará no Senado o general reformado John Kelly, selecionado por Trump para dirigir o Departamento de Segurança Nacional.

Em seguida, na quarta-feira, será a vez de uma das designações que mais gerou polêmica, a do ex-executivo-chefe da companhia petrolífera Exxonmobil, Rex Tillerson, como Secretário de Estado.

O indicado por Trump para dirigir a diplomacia americana conta com boas relações com o presidente russo, Vladimir Putin, algo especialmente sensível em um momento de tensões entre Washington e Moscou pelo relatório da inteligência americana que aponta para a ingerência russa nas eleições presidenciais por meio de ataques informáticos.

Também na quarta-feira, outros membros do gabinete ministerial do presidente eleito se apresentarão perante os comitês respectivos à câmara alta do Congresso dos EUA, como é o caso das designadas para dirigir o Departamento de Educação, Betsy DeVos, e o Departamento de Transporte, Elaine Chao.

Neste último caso há a peculiar circunstância que Chao é a esposa do líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Além disso, o neurocirurgião e ex-pré-candidato presidencial Ben Carson se deslocará ao Congresso esta semana, embora ainda sem data definida, para defender sua indicação como Secretário de Habitação.

Todas estas designações deverão ser ratificadas pelo Senado para confirmar sua posição e passar a fazer parte oficialmente da nova Administração.

Estas audiências preliminares acontecerão duas semanas antes que Trump tome posse como presidente dos Estados Unidos e geraram críticas da oposição democrata, que acusou os republicanos de apressar o processo de maneira interessada.

Os democratas se referiram à "preocupação" expressada em carta divulgada na sexta-feira passada por Walter M. Shaub Jr., diretor do Escritório de Ética do Governo (OGE, na sigla em inglês).

"Este calendário criou uma pressão indevida sobre a OGE e os funcionários da agência para apressar-se nestas revisões importantes", declarou Shaub.

A OGE se encarrega de analisar possíveis conflitos de interesse por parte dos membros do gabinete antes que estes sejam submetidos a ratificação por parte do Senado.

Por sua parte, os republicanos, que contam com maioria em ambas câmaras do Congresso, anteciparam sua intenção de avançar com rapidez para ter um grupo de indicados confirmados para o dia da posse oficial de Trump em 20 de janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos