Guterres defende que prevenção de conflitos deve ser prioridade máxima da ONU

Nações Unidas, 10 jan (EFE).- O novo secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta terça-feira que a entidade terá que prestar mais atenção na prevenção e na mediação de conflitos, antecipando a necessidade de reformas para atingir o objetivo.

"Devemos reequilibrar nosso foco sobre paz e segurança. Durante décadas, estivemos dominados pela resposta aos conflitos. Para o futuro, devemos fazer muito mais para prevenir as guerras e manter a paz", disse Guterres em seu primeiro discurso como secretário-geral no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O diplomata português afirmou que está iniciando reformas com esse novo objetivo, começando por mudanças no processo de tomada de decisões da Secretaria-Geral, com a criação de um novo comitê executivo e de uma assessora especial para assuntos políticos.

Guterres defendeu que a prevenção de conflitos deve ser a prioridade máxima da ONU e pediu aos demais membros do Conselho de Segurança que 2017 seja "um ano para a paz".

Para isso, ressaltou o secretário-geral, será preciso fazer alterações na "cultura, estratégia, estrutura e operações" do órgão. Além disso, Guterres destacou a necessidade de que a ONU trabalhe mais próxima dos países-membros, ampliando a cooperação entre eles.

"Muitas oportunidades de prevenção se perderam porque os países-membros desconfiam dos motivos dos outros e por preocupações sobre a soberania nacional", afirmou Guterres, que disse compreender esses temores devido ao desequilíbrio de poder no mundo e pelo "uso seletivo" feito no passado de certos princípios.

"Não podemos ter fins políticos ou dois pesos e duas medidas. Mas isso não quer dizer que não há padrões. A ação preventiva é essencial para evitar atrocidades maciças ou graves abusos dos direitos humanos", afirmou o secretário-geral.

Guterres pediu que o Conselho de Segurança a atuar nos primeiros sinais do desencadeamento de um conflito e lembrou os grandes custos de permitir que os confrontos tenham sequência.

O secretário-geral abriu a audiência na qual estão previstas mais de 90 discursos, incluindo a de vários ministros das Relações Exteriores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos