Peña Nieto critica ameaças a investidores no México após declarações de Trump

Cidade do México, 11 jan (EFE).- O presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, criticou nesta quarta-feira as tentativas de "influenciar nas decisões de investimento das empresas com base no medo ou ameaças", após as reiteradas pressões do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, às companhias americanas com interesses no México.

"Vamos defender os investimentos nacionais e estrangeiros no México, a fim de que siga sendo um destino confiável e atrativo", afirmou o presidente no encerramento de uma reunião de embaixadores e cônsules mexicanos no mundo todo.

"Devem existir regras claras para que continue o fluxo de capitais na região. Rejeitamos qualquer tentativa de influenciar nas decisões de investimento das empresas com base no medo ou em ameaças", acrescentou Peña Nieto em meio à ovação dos diplomatas.

As pressões que o presidente eleito dos Estados Unidos exerceu sobre montadoras fizeram com que na semana passada a Ford anunciasse o cancelamento de um investimento de US$ 1,6 bilhão na fábrica de San Luis Potosí, no centro-norte do México.

Ao delinear os objetivos da negociação que iniciará com o governo de Trump a partir de 20 de janeiro, Peña Nieto também se pronunciou a favor de alcançar acordos para proteger os empregos atuais, criar novas fontes de trabalho e melhorar os salários.

"A complementaridade dos processos produtivos entre os três países que integramos a região do NAFTA (Tratado de Livre-Comércio da América do Norte) é uma de nossas maiores fortalezas", assegurou.

Por isso, prometeu trabalhar para que continue "o esquema de livre-comércio e a integração produtiva entre os três países do tratado (México, EUA e Canadá), assim como para fortalecer a competitividade da América do Norte com pleno respeito às regras de comércio internacional".

O presidente mexicano defendeu ainda a modernização do acordo comercial da região, que Trump quer renegociar por considerar que destrói a indústria e os empregos de seu país, "para incluir novos setores: telecomunicações, energia e comércio eletrônico".

"Negociaremos com segurança em nossas forças e com sentido prático, promovendo sempre os interesses do México e dos mexicanos", destacou Peña Nieto, que admitiu o desafio que representa a nova era na relação com os EUA.

"O mundo verá no México um país que, com audácia e pragmatismo, privilegia o diálogo e o entendimento para conseguir benefícios concretos para os mexicanos", declarou, após reconhecer "algumas diferenças" com Trump, entre elas a "construção de um muro que o México, certamente, não pagará", reiterou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos