Erdogan pede rapidez em reforma constitucional e convocação de referendo

Istambul, 12 jan (EFE).- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu nesta quinta-feira que os deputados sejam rápidos no debate sobre a reforma constitucional para instaurar um sistema presidencialista no país, alteração que também terá que ser aprovada em um referendo popular.

As discussões sobre a reforma se transformaram em uma batalha campal na Assembleia Nacional da Turquia ontem. Várias brigas foram registradas durante a votação dos artigos. Em alguns momentos, deputados jogaram cadeiras e copos uns contra os outros. Um deles foi atingido e acabou quebrando o nariz.

"Se eles têm respeito pela nação, se acreditam na vontade da nação, sem poréns nem condições, então deixarão de lado o mais rápido possível as negociações e aprovarão a reforma", pediu o presidente em discurso transmitido pela emissora "NTV".

"Deixem que a nação decida. E isso será", prometeu.

Erdogan está há mais de um ano defendendo a necessidade de transformar o sistema parlamentar da Turquia em presidencialista, abolindo o cargo de primeiro-ministro. Dessa forma, a chefia de governo será assumida pelo presidente.

O Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), fundado por Erdogan e no poder desde 2002, levou ao plenário a proposta de reforma constitucional, rejeitada por dois dos três partidos de oposição.

A reforma começou a ser debatida na segunda-feira. Os 18 artigos serão aprovados um a um. No fim, todo o projeto será votado mais uma vez pelos parlamentares.

O AKP, que tem 317 cadeiras, conta com o apoio do Partido da Ação Nacionalista (MHP), o que garante superar o limite de 330 votos exigido para levar o referendo na Constituição.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos