Manifestantes protestam em São Paulo contra aumento de passagens

São Paulo, 12 jan (EFE).- Manifestantes protestaram nesta quinta-feira contra a decisão do governo de São Paulo de aumentar determinadas tarifas de transporte público e alguns encapuzados chegaram a saquear agências bancárias e lojas no final da manifestação.

A passeata foi convocada apesar de a Justiça paulista ter decretado esta semana de maneira cautelar a paralisação do reajuste do preço dos bilhetes que permitem o uso integrado de metrô, trem e o ônibus.

O protesto começou na Avenida Paulista e o objetivo dos participantes era chegar até a casa do novo prefeito da cidade, João Doria, afilhado político do governador Geraldo Alckmin.

No entanto, a polícia bloqueou algumas das vias que permitiam o acesso à residência de Doria e os manifestantes modificaram o percurso.

Poucos minutos depois algumas pessoas vestidas de preto e com os rostos cobertos começaram a quebrar vidraças de bancos e a lançar objetos contra algumas lojas situadas em uma das ruas mais luxuosas de São Paulo.

Samia Bomfim, uma das manifestantes, disse à Agência Efe que o protesto contra o aumento do preço do transporte é apenas o "começo" de um ano para o qual prevê "bastantes enfrentamentos".

"É importante que iniciemos essa unidade na luta porque será um ano bastante difícil, de bastante enfrentamento, com minoria na Câmara de Vereadores, com uma maioria consolidada do PSDB e seus aliados em todos os âmbitos: municipal, estadual e federal", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos