Reunificação do Chipre seria razão de esperança, diz secretário-geral da ONU

Genebra, 12 jan (EFE).- O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta quinta-feira que um resultado positivo das negociações para a reunificação do Chifre seria uma razão de esperança para o mundo.

"Boas notícias nos diálogos sobre o Chipre nos dariam uma razão para ter esperanças outra vez", afirmou o ex-primeiro-ministro de Portugal ao presidente do Chipre, Nico Anastasiades, e ao líder turco-cipriota, Mustafá Akinci, em uma conferência que também tem a participação de Turquia, Grécia e Reino Unido, fiadores do processo.

Na chamada Sala do Conselho, um dos espaços mais simbólicos da sede europeia da ONU em Genebra, palco de negociação de vários tratados em favor da paz e do desarmamento, estavam os ministros das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, da Grécia, Nikos Kotzias, e da Turquia, Mevlüt Cavusoglu.

O papel de Reino Unido, Turquia e Grécia é fundamental para um acordo final de reunificação da ilha, que está dividida em dois desde 1974. A maior parte do território e da população fica na região greco-cipriota, sob a influência de Atenas.

A outra é a turco-cipriota, com atuação de Ancara, que mantém na região 30 mil soldados desde a invasão realizada há 42 anos, em uma reação à tentativa de golpe de Estado por parte de greco-cipriotas.

O Reino Unido, por sua vez, mantém duas bases militares na área grega do Chipre. Por isso, as posições de Londres e Ancara são particularmente relevantes em matéria de segurança, um dos temas centrais da negociação que ocorre a partir de hoje.

Além disso, participa da reunião a chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, e o presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker.

Um Chipre reunificado se tornaria membro de pleno direito da UE, o que explica a presença de dois dos principais representantes do bloco comunitário no encontro.

Após o início da conferência, fechada para a a imprensa, um porta-voz do governo grego disse esperar que o processo de negociação leve a um resultado concreto. Os diálogos atuais estão sendo realizados há 20 meses e avançaram ao longo de rodadas sucessivas. A atual começou na última segunda-feira.

Em mensagem divulgada pelo Twitter depois do início da reunião, Johnson disse que foi a Genebra "no que espera ser o último período de conversas sobre o futuro do Chipre".

"O fato de que tenhamos chegado tão longe devemos à coragem e à determinação dos líderes das comunidades greco-cipriota e turco-cipriota, que se uniram pelo futuro da ilha e estão tentando chegar a um acordo", completou o chanceler britânico.

"O mais importante é que ambas comunidades se sintam seguras sobre esse futuro, e o governo do Reino Unido está aqui para ajudar que esse objetivo seja possível. Veremos o que ocorre nas próximas horas e dias", afirmou Johnson.

As partes acertaram que a conferência seguirá o quanto for necessário se for observado que há possibilidades reais de acordo nos principais pontos de discordância.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos