Procurador-geral diz que há outros envolvidos em caso Odebrecht na Colômbia

Bogotá, 14 jan (EFE).- O procurador-geral da Colômbia, Néstor Humberto Martínez, afirmou neste sábado que, em breve, o país conhecerá o nome de novos envolvidos no caso dos pagamentos de propina feitos pela construtora brasileira Odebrecht.

"A Procuradoria identificou os contratos nos quais a empresa brasileira teria pago recursos para vencer as licitações e excluir concorrentes", indicou Martínez na cidade de Montería, no norte da Colômbia, durante um evento contra a corrupção.

De acordo com documentos publicados no último dia 21 de dezembro pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a Odebrecht pagou US$ 788 milhões em propinas em 12 países da América Latina e da África. Na Colômbia, a empreiteira admitiu ter pago mais de US$ 11 milhões para subornar funcionários do governo entre 2009 e 2014.

Na quinta-feira, as autoridades colombianas prenderam Gabriel García Morales, vice-ministro de Transporte durante o governo do ex-presidente Álvaro Uribe (2002-2010), por envolvimento no caso.

"Temos evidências que García exigiu o pagamento de US$ 6,5 milhões para garantir que a Odebrecht fosse a única empresa na licitação do segundo trecho da Rota do Sol", afirmou o procurador.

García teve a prisão preventiva confirmada ontem por uma juíza. No entanto, o ex-vice-ministro apresentou problemas de saúde e a audiência na qual ele será acusado pelos crimes de corrupção, interesse indevido na celebração de contrários e enriquecimento ilícito teve que ser adiada para domingo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos