Bombardeio dos EUA mata vários líderes talibãs no sudoeste do Afeganistão

Cabul, 15 jan (EFE).- Ao menos 15 comandantes e chefes militares talibãs morreram e outros dez ficaram feridas em um bombardeio dos Estados Unidos contra uma importante reunião do grupo na província de Helmand, no sudoeste do Afeganistão, informaram fontes oficiais.

O ataque aéreo foi realizado na tarde de sábado em Mossaqala, um dos cinco distritos controlados pelos talibãs na província, indicou o escritório do governo de Helmand em comunicado.

De acordo com a nota, morreram no bombardeio os responsáveis pelo financiamento e o recrutamento de novos talibãs na reunião, os chefes militares de Helmand, Kandahar e Uruzgan, além de dois supostos agentes da inteligência do Paquistão.

Outros dois supostos agentes do Afeganistão ficaram feridos.

As forças de segurança apreenderam blindados que tinham sido roubados pelos talibãs. Armas e munição foram destruídos no ataque.

O bombardeio ocorreu cinco dias depois de os insurgentes terem lançado três ataques simultâneos em Cabul, Kandahar e Helmand, matando mais de cinquenta pessoas, entre eles cinco diplomatas dos Emirados Árabes Unidos, além de mais de cem feridos.

O governo do Afeganistão prometeu uma resposta contundente contra os insurgentes e garantiu que os responsáveis não ficarão impunes.

O país lida com um crescente aumento da violência depois do fim da missão militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 2014. Agora, as tropas ainda presentes no país auxiliam apenas em tarefas de capacitação do Exército afegão.

Os talibãs assumiram o controle de diversas regiões e controlam um terço do território do país, de acordo com fontes americanas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos