Naufrágio pode ter causado morte de 180 imigrantes no Mediterrâneo, diz Acnur

Roma, 17 jan (EFE).- Pelo menos 180 imigrantes podem ter morrido no naufrágio do último sábado no Mar Mediterrâneo, em frente ao litoral da Líbia, segundo os testemunhos obtidos pela Agência da ONU para os Refugiados (Acnur).

A porta-voz da agência na Itália, Carlotta Sami, escreveu nesta terça-feira em seu perfil no Twitter que esse foi o número de desaparecidos obtido após os depoimentos recolhidos nas últimas horas.

Sami informou que os desaparecidos, que poderiam estar todos mortos, passaram "horas em mar aberto", segundo relatos de sobreviventes do naufrágio.

"Desde ontem à noite, oferecemos assistência aos sobreviventes, apenas quatro pessoas. Chegaram a Trapani e nos contaram algo terrível, foram deixados no mar em um barco que, pouco a pouco, começou a afundar", declarou Sami ao canal de televisão "SkyTG24".

A porta-voz do Acnur afirmou que parte dos relatos obtidos em Trapani, que fica na Sicília, foram feitos por um homem que perdeu sua mulher no naufrágio e que o resgate dos sobreviventes aconteceu em um momento no qual o mar apresentava condições "terríveis", com temperaturas abaixo de zero.

Além disso, o sobrevivente indicou que na embarcação havia "refugiados eritreus, somalis, etíopes e sudaneses".

O barco naufragou no sábado passado, quando se encontrava a 30 milhas do litoral da Líbia, e foram enviadas ao local do acidente várias embarcações da marinha italiana e do dispositivo europeu Frontex.

Em um primeiro momento, foi possível salvar quatro imigrantes que estavam na embarcação, os mesmos que foram levados a Trapani nas últimas horas. Segundo os primeiros relatos dos sobreviventes, deduziu-se que 107 pessoas viajavam no barco e oito corpos foram recuperados do mar durante as operações de resgate.

Há poucos dias, a Organização Mundial das Migrações (OIM) informou que 5.079 pessoas morreram em 2016 em sua tentativa de atravessar o Mediterrâneo, em comparação com as 3.777 que perderam a vida em 2015, e as 3.279 em 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos