Audiência com indicado por Trump a chefe da EPA é alvo de manifestação

Washington, 18 jan (EFE).- Manifestantes, alguns vestidos como índios, interromperam nesta quarta-feira a audiência no Senado com Scott Pruitt, indicado para comandar a Agência de Proteção ao Meio-Ambiente dos Estados Unidos (EPA).

Diane Wilson, que foi expulsa do ato, disse à Agência Efe que veio de uma cidade no litoral do Golfo do México, que foi afetada por um vazamento de petróleo de grandes proporções da companhia BP, em 2010.

A crítica a Pruitt é a de que se trata de um defensor da produção de petróleo e gás no país.

Usando roupas com a sigla da BP, Wilson gritou ao ser retirada de sala de uma das comissões do Senado americano, lembrando que se tratava de uma audiência pública, protestando contra a ação dos seguranças do local.

Pouco antes do começo da fala de Pruitt, cerca de 20 manifestantes tentaram entrar na sala, que ficou lotada para a declaração do novo chefe da EPA. Uma mulher indígena, proveniente da Dakota do Norte, chegou a ser detida por seguranças.

Hoje, Pruitt enfrentaria duras perguntas sobre doações que, supostamente, recebeu de indústrias de petróleo e gás, quando se candidatou a procurador-geral de Oklahoma, além das ideias de Trump, que criticou os acordos globais contra a mudança climática e o pleno Energia Limpa, assinado por Barack Obama em 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos