Trump diz que não gosta de tuitar e que usa rede para "resistir" à imprensa

Washington, 18 jan (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira que seguirá utilizando o Twitter quando a assumir o poder porque essa é a única maneira de "resistir" à "imprensa desonesta".

"Não gosto de tuitar. Há outras coisas que eu poderia estar fazendo", explicou Trump em uma entrevista à "Fox".

O republicano assume o cargo na próxima sexta-feira e disse que irá continuar usando a rede social quando achar necessário, especialmente porque vê o Twitter como a "única maneira" de rebater aos veículos de imprensa "desonestos" dos EUA.

As mensagens pelo Twitter se tornaram uma marca de Trump durante a campanha eleitoral. Ele usou a rede social com frequência para fazer anúncios, criticar a imprensa e atacar seus inimigos.

Hoje mesmo, o presidente eleito acusou a emissora "NBC" de ser "totalmente tendenciosa" por afirmar que os anúncios de empresas como a Ford e a GM de criar novos empregos nos EUA não têm relação com a pressão feita por ele para que elas invistam no país.

"Perguntem aos principais executivos dessas companhias por fatos reais. Voltaram por mim!", escreveu Trump.

Durante a entrevista à "Fox", Trump também foi perguntado pela decisão de mais de 50 congressistas democratas de não comparecer à cerimônia de posse nesta sexta-feira em protesto pelas críticas ao ícone dos direitos civis, John Lewis, deputado do partido.

Trump disse que não importa com as ausências porque precisa "desesperadamente" de lugares para outros convidados.

O presidente eleito também criticou as celebridades que disseram que não vão ao evento. "Nunca foram convidadas. Não quero as celebridades, quero o povo", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos