Duterte xinga bispos das Filipinas por criticarem sua guerra às drogas

Manila, 19 jan (EFE).- O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, chamou nesta quinta-feira os bispos do país de "filhos da p...", um ataque que acentua sua guerra contra a Igreja Católica pela oposição da instituição a suas políticas e, especialmente, a sua guerra às drogas.

Os bispos filipinos "pediram carros de luxo a Gloria (Macapagal-Arroyo, presidente de 2001 a 2010) quando a polícia mal tinha veículos suficientes", criticou Duterte em discurso televisionado por ocasião da designação de novos cargos da Polícia Nacional (PNP).

"Se você tem um (Mitsubishi) Pajero, é um filho da p...", continuou o presidente, famoso por sua incontinência verbal, durante a cerimônia no palácio presidencial de Malacañán, diante de centenas de funcionários da PNP.

Rodrigo Duterte pediu aos religiosos respeito à "separação entre Igreja e Estado" que estabelece a Constituição e também os acusou em seu discurso de hoje de encobrir casos de abuso de menores e de práticas "homossexuais".

Trata-se do segundo ataque de Duterte à Igreja em apenas dois dias, depois que na quarta-feira o presidente chamou de "hipócritas" sacerdotes e bispos e os convidou, em tom sarcástico, a provar o "shabu", o tipo de metanfetamina mais popular do país, por se oporem a sua polêmica campanha antinarcóticos.

A "guerra contra as drogas", que causou mais de 6.200 mortos desde junho pelas mãos de policiais e de milícias populares, se deparou com uma forte oposição da Igreja desde os púlpitos e através de outras campanhas, como a colocação de cartazes de protesto nas paróquias.

Outra frente na disputa aberta entre governo e Igreja é a política de planejamento familiar de Duterte, que inclui, entre outras medidas, a distribuição de preservativos nas escolas para combater o alarmante aumento da propagação do HIV e as frequentes gestações indesejadas.

Tanto os clérigos como os políticos católicos mais conservadores se opuseram ferozmente a esta estratégia ao considerar que a mesma fomenta a promiscuidade.

Seu ataque contra a Igreja filipina chega um dia depois que Duterte enviou uma carta de agradecimento ao papa Francisco por sua visita ao país em janeiro de 2015.

A carta do presidente, que após aquela visita também chamou de "filho da p..." o pontífice por ter contribuído para alterar o trânsito durante sua estadia, foi entregue ontem em Roma por um representante oficial do governo filipino.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos