EUA matam dois líderes da Al Qaeda na Síria em diferentes ataques

Washington, 19 jan (EFE).- O governo dos Estados Unidos anunciou nesta quinta a morte de dois comandantes da rede terrorista Al Qaeda nos últimos sete dias em diferentes ataques aéreos na Síria.

O porta-voz do Pentágono, Peter Cook, confirmou que no último dia 17 de janeiro um ataque americano matou o tunisiano Habib Busadun al Tunisi, que, segundo as autoridades americanas, era responsável por planejar atentados no Ocidente.

Al Tunisi morreu em um ataque de precisão perto de Idlib, depois que o terrorista se estabeleceu na Síria em 2014.

Em um ataque prévio, os Estados Unidos também disseram ter matado Abd al Khalil al Muslimi, outro tunisiano que estava vinculado à Al Qaeda desde os anos 90, na cidade síria de Saraqib.

Al Muslimi era considerado também um alto comando encarregado de planejar ataques contra interesses ocidentais e um veterano que chegou a treinar com os talibãs no Afeganistão.

Estes ataques aconteceram em paralelo às missões aéreas americanas na Síria contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI).

"Os Estados Unidos continuam empreendendo ações para negar a estes terroristas um território seguro na Síria de onde podem planejar atacar os Estados Unidos, seus interesses ou seus aliados", garantiu Cook em comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos