Rússia entrega aos EUA convite para reunião de Astana como país observador

Moscou, 19 jan (EFE).- A Rússia entregou nesta quinta-feira aos Estados Unidos o convite para no próximo 23 de janeiro comparecer à reunião entre o regime de Bashar al Assad e a oposição síria em Astana como país observador, apesar da objeção do Irã.

O embaixador dos EUA em Moscou, John Tefft, recebeu o convite das mãos do vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Mikhail Bogdanov, segundo a imprensa local.

"Entregamos o convite assinado por nossos amigos do Cazaquistão", disse Bogdanov.

O chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, afirmou na quarta-feira que Teerã se opõe terminantemente à participação dos EUA nas negociações.

A Síria, que será representada pelo embaixador sírio na ONU, Bashar Jaafari, também impôs seus vetos, já que é contra a presença de Arábia Saudita e Catar, acusados por Damasco de apoiar os jihadistas.

"Quando Catar e Arábia Saudita deixarem de apoiar o terrorismo, discutiremos o sua participação nas conversas", afirmou o vice-ministro de Relações Exteriores da Síria, Faisal Miqdad.

A princípio, participarão da reunião na capital do Cazaquistão os principais grupos insurgentes, com a exceção do Movimento Islâmico dos Livres de Sham, uma das facções armadas mais importantes da oposição.

Para justificar a ausência, Bogdanov explicou que só serão convidados os grupos opositores que apoiaram o cessar-fogo que entrou em vigor em 30 de dezembro com mediação russa e turca.

Por sua vez, Assad afirmou que o objetivo das negociações de Astana é garantir a trégua com um acordo entre governo e oposição para o fim das hostilidades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos