Brasileira acusada de liderar "sequestros virtuais" é detida na Argentina

Buenos Aires, 20 jan (EFE).- A polícia argentina deteve na cidade de Lanús uma brasileira foragida conhecida como "A Cigana", contra quem havia uma ordem de captura e que é acusada de liderar um grupo que realizava "sequestros virtuais" (extorsão telefônica), informaram fontes oficiais nesta sexta-feira.

"Esta mulher era intensamente procurada na Argentina e no Brasil e era a líder de um grupo que tinha cometido 32 sequestros virtuais na província de Buenos Aires, mas graças às tarefas de inteligência criminosa pudemos localizá-la e detê-la", explicou a ministra de Segurança, Patricia Bullrich.

A detida, de 36 anos e nascida em São Paulo, é Patricia Verónica Tan Ivanoff, que já estava condenada a quatro anos de prisão como líder de uma organização criminosa formada por pessoas ciganas.

Segundo explicou o ministério em comunicado, o grupo tinha feito os "sequestros virtuais" na região de Las Flores y Azul, na província de Buenos Aires.

Os "sequestros virtuais" consistem em enganar o interlocutor ao dizer por telefone, por exemplo, que um parente foi sequestrado e morrerá caso não seja pago um resgate.

Três homens que supostamente integravam a quadrilha que operava na Argentina já tinham sido detidos e a investigação indica que "A Cigana" era quem escolhia as vítimas e as ações a serem tomadas para a extorsão.

A operação detectou que, nos últimos dias, Tan Ivanoff se encontrava em um domicílio de Lanús. As pesquisas estabeleceram que a mulher tinha mudado de aparência e tinha documentação falsa "para esconder a verdadeira identidade".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos