Mortos em bombardeio de Exército nigeriano a campo refugiados chegam a 90

Genebra, 20 jan (EFE).- Pelo menos 90 pessoas morreram e outras 120 ficaram feridas durante o bombardeio do Exército da Nigéria a um acampamento de deslocados internos da cidade de Rann, no norte do país, denunciou nesta sexta-feira a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

O Exército confirmou há três dias esse ataque aéreo ocorrido durante uma operação militar contra o grupo terrorista nigeriano Boko Haram e que, "infelizmente", afetou civis e membros do pessoal humanitário da MSF e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

O acampamento de deslocados internos de Rann fica muito perto da fronteira com Camarões, no estado de Borno, um dos alvos frequentes do grupo terrorista Boko Haram.

A MSF denunciou hoje em comunicado que o número de vítimas continua subindo e que "as últimas estimativas" falam de pelo menos 90 pessoas mortas.

No momento do ataque se distribuía comida às milhares de pessoas deslocadas, por isso que a maioria dos mortos eram mulheres e crianças, informou a organização.

Segundo a MSF, além do que seu pessoal pôde verificar, relatórios de líderes comunitários indicam que o número de mortos poderia chegar a 170 pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos