Professor é condenado a 13 anos de prisão por abusar de 2 crianças no Equador

Quito, 20 jan (EFE).- A Justiça de Pastaza, no centro do Equador, condenou a 13 anos e quatro meses de prisão o argentino que estuprou duas meninas de 6 e 7 anos informou a Procuradoria Geral do Estado do Equador (FGE) nesta sexta-feira.

Os crimes aconteceram em meados de 2015, Roberto S. "se aproveitou de seu cargo de professor de ginástica para abusar sexualmente das duas meninas" nas aulas que elas faziam na Federação Esportiva de Pastaza.

Roberto S. voltou à Argentina depois das ações, mas em 23 de novembro de 2016 foi capturado em Buenos Aires e extraditado ao Equador para o julgamento, onde ficou comprovado que as meninas foram agredidas sexualmente e o acusado foi reconhecido em fotos pelas menores, a mãe e duas testemunhas.

Além disso, um perito avaliou psicologicamente às vítimas e apresentou um laudo mostrando que elas foram graves prejudicadas. Assim, o Tribunal de Garantias Penais de Pastaza determinou também que Roberto deve pagar US$ 6 mil (pouco mais de R$ 19 mil) e custear o tratamento psicológico das vítimas, segundo a nota.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos