Réus pegam até 467 anos de prisão em caso de abuso sexual infantil no México

México, 20 jan (EFE).- Seis funcionários de um jardim de infância vinculada a Secretaria de Educação Pública do México foram condenados nesta sexta-feira a penas de entre 36 e 467 anos de prisão, em um caso de abusos sexuais a 25 menores de idade, segundo informações da procuradoria.

De acordo com um comunicado da Procuradoria Geral, o juiz do 7º Distrito de Processos Penais Federais da Cidade do México condenou o zelador do jardim, identificado como Saúl "N", a 467 anos e 3 meses de prisão e a pagar uma multa de 1,2 milhões de pesos (cerca de US$ 57 mil) pelos crimes de estupro, pedofilia e corrupção de menores.

A condenação da diretora do estabelecimento de ensino, María da Luz "N", foi de 88 anos, 7 meses e 7 dias, por "estupro, pedofilia e encobrimento por favorecimento".

O auxiliar da direção do jardim de infância, identificado como José "N", recebeu uma sentença de 81 anos e 9 meses de prisão; e a assistente de serviço e manutenção, Martha Leticia "N", 36 anos e 9 meses de prisão.

Os outros dois réus, que prestavam serviço social no local, foram condenados a 68 anos e 9 meses de prisão.

Além de prisão, os seis condenados foram multados em valores que variam entre US$ 6 mil e US$ 57 mil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos