Trump usa Twitter para responder Marcha das Mulheres

Washington, 22 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unido, Donald Trump, respondeu neste domingo através do Twitter às grandes manifestações contra ele que aconteceram ontem em muitas cidades do país e perguntou: "Por que essas pessoas não votaram?".

"Vi os protestos de ontem, mas tenho a impressão de que acabamos de ter uma eleição! Por que essas pessoas não votaram?", escreveu ele em sua conta pessoal que permanece em uso, apesar da conta presidencial oficial ser a @POTUS.

Na mesma postagem Trump afirmou ainda que as celebridades que participaram das manifestações, entre elas Madonna, Alicia Keys, Scarlett Johanson e cineasta Michael Moore, "prejudicaram gravemente a causa".

Depois, em outro tweet, Trump suavizou: "Os protestos pacíficos são um marco da nossa democracia. Mesmo que nem sempre concorde, reconheço os direitos das pessoas a expressar suas opiniões".

As Marchas das Mulheres aconteceram ontem contra a presidência de Trump em 670 cidades dos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de pessoa, e em outras 70 cidades de todo o mundo. A de Washington superou todas as expectativas, com mais de meio milhão de manifestantes, e se tornou um dos maiores protestos já vistos na capital americana.

Sem números oficiais para comparar, os dados do metrô de Washington mostram que o fluxo de pessoas na manhã ontem para ir à marcha foi muito maior do que o de sexta-feira para ir à posse de Trump. Fotos aéreas feitas pelo National Mall no sábado durante as manifestações também mostram concentrações maiores de pessoas do que as reunidas na sexta-feira na posse.

Durante a visita à sede da CIA, na Virgínia, Trump acusou a imprensa de mentir sobre a quantidade de público presente na posse. Segundo ele, os jornalistas estão "entre os seres humanos mais desonestos na Terra", pois o público que foi à sua cerimônia de posse "parecia" englobar 1,5 milhão de pessoas e os veículos de comunicação mostraram imagens de "um lugar onde praticamente não tinha ninguém".

Pouco depois das declarações do presidente, o novo porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, denunciou em seu primeiro comparecimento, visivelmente incomodado, as tentativas "vergonhosas e equivocadas" de alguns jornais para "minimizar o enorme apoio" que foi visto na festa de posse. Spicer chegou a afirmar que nunca antes houve tanta gente para uma posse, "tanto pessoalmente quanto ao redor do mundo", embora tenha admitido que "ninguém tem números" oficiais porque o Serviço de Parques Nacionais não fornece esses dados.

O governo de Trump vai fazer com que a imprensa "preste contas", já que "o povo americano merece algo melhor", ressaltou Spicer, em tom desafiante na sala de imprensa da Casa Branca e sem aceitar perguntas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos