Diante de desafio da era Trump, presidente do México aposta em diversificação

Cidade do México, 23 jan (EFE).- O presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou nesta segunda-feira que irá apostar na diversificação dos vínculos políticos e econômicos do país com outras regiões do mundo diante dos desafios representados pela chegada de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

"Apesar de os nossos maiores intercâmbios econômicos estarem concentrados nos EUA, temos que aproveitar as oportunidades que hoje, mais do que nunca, o México tem no mundo todo", afirmou o presidente ao apresentar suas prioridades em política externa para os próximos dois anos.

"O governo deverá ter uma agenda equilibrada, pragmática e oportuna para ampliar o destino das exportações e as fontes de investimento, aprofundar as relações bilaterais e o diálogo político com atores-chave", destacou o presidente.

Após destacar o México é um país "orgulhosamente latino-americano", Peña Nieto indicou que dará um "maior sentido estratégico" à relação com a região, com o objetivo de ampliar o fluxo de comércio e investimentos, obtendo melhores empregos e uma maior interlocução.

Como primeiro passo nessa nova direção, o presidente disse que participará da V Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), que será realizada nesta terça e quarta-feira na República Dominicana.

Penã Nieto disse que com a América Central, especialmente com os países que integram o Triângulo Norte (Guatemala, Honduras e El Salvador), o México "avançará para atender os desafios comuns, como o desenvolvimento, a paz, a migração ordenada, segura e respeitosa com os direitos humanos", afirmou.

Na América do Sul, explicou o presidente, seu governo buscará fortalecer a integração com seus parceiros da Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia e Peru) e também se aproximar mais de Argentina e Brasil, com quem o México já trabalha em aprofundar e ampliar as oportunidades de comércio.

Sobre a Europa, Peña Nieto indicou que a prioridade é concluir neste ano a atualização do acordo global com a União Europeia e o tratado com a Associação Europeia de Livre-Comércio (AELC).

Além disso, o presidente disse que o México está pronto para iniciar negociações de um acordo comercial com o Reino Unido assim que a saída britânica do bloco europeu for formalizada.

Em relação à região Ásia-Pacífico, onde estão cinco de seus principais parceiros comerciais, o México quer intensificar os fluxos de comércio, investimento e turismo, indicou o presidente.

Diante da dificuldade de concretizar o Tratado Transpacífico (TPP), devido à saída dos EUA anunciada hoje por Trump, Peña Nieto indicou que começará conversas para fechar outros acordos comerciais com os participantes do tratado.

O presidente do México reconheceu a necessidade de reformular sua política externa após a chegada de Trump ao poder. Além do TPP, o republicano quer renegociar o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta), entre os dois países e o Canadá.

Trump também ameaçou impor tarifas aos produtos mexicanos, deportar milhões de imigrantes ilegais e construir um muro na fronteira comum entre os dois países, obrigando o México a pagar pelo projeto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos