Peña Nieto pede preservação do livre-comércio entre México, EUA e Canadá

Cidade do México, 23 jan (EFE).- O presidente do México, Enrique Peña Nieto, pediu nesta segunda-feira que seja preservado o livre-comércio com Canadá e Estados Unidos e mantida a troca entre os três países livre de tarifas, em resposta aos planos protecionistas do presidente americano, Donald Trump.

"As trocas comerciais entre os três países têm de estar isentas de qualquer tarifa ou cota como, ocorreu desde 2008", afirmou o líder mexicano na residência oficial de Los Pinos.

Diante da futura renegociação do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (NAFTA), impulsionada por Donald Trump, o governante mexicano anunciou que buscará "fortalecer a competitividade da América do Norte e as cadeias regionais de fornecimento".

Por isso, apostou em continuar "aumentando exportações mexicanas a Estados Unidos e Canadá sobre uma base de concorrência saudável e desenvolvimento de setores de maior valor agregado".

Neste sentido, considerou que a modernização do marco normativo do NAFTA deve incluir "novos setores" como as telecomunicações, a energia e o comércio eletrônico.

Para Peña Nieto, a revisão do tratado também tem de servir para melhorar os salários dos empregados mexicanos, fazendo do comércio "um instrumento poderoso para proteger os empregos atuais e criar" mais postos de trabalho.

Em seu discurso, Peña Nieto também garantiu que protegeria os investimentos no México, tanto o nacional como o estrangeiro, com o argumento de que o país é um "destino confiável e atrativo".

Embora tenha reconhecido o direito soberano dos Estados Unidos de garantir a segurança, Peña Nieto afirmou que o México não "acredita nos muros" e que sua vontade com os EUA, principal parceiro com uma troca comercial anual de mais de US$ 500 bilhões, é a de "construir pontes".

"Nossa fronteira deve ser nosso melhor espaço de convivência, um espaço de segurança, prosperidade e desenvolvimento compartilhado", afirmou.

Sobre a reunião que terá com Trump no dia 31 de janeiro em Washington, o presidente mexicano disse apresentará uma visão "integral".

"Tratarei de maneira aberta e completa toda a nossa relação. Levaremos todos os temas à mesa. Comércio, sim, mas também migração e temas de segurança fronteiriça, ameaças terroristas, de drogas, armas e efetivos", detalhou.

Donald Trump foi muito crítico com o NAFTA ao considerar que o tratado beneficia o México e prejudica a indústria, o comércio e o emprego nos Estados Unidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos