Trump assina ordem executiva para tirar EUA do acordo comercial TPP

Washington, 23 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira no Salão Oval uma ordem executiva para tirar o país do Tratado Transpacífico (TPP), do qual fazem parte outras 11 nações.

"Conversamos sobre isto durante muito tempo", disse Trump, após assinar a ordem ao lado do vice-presidente, Mike Pence; seu chefe de gabinete, Reince Priebus, e dois dos seus assessores mais próximos, Steve Bannon e seu genro Jared Kushner.

A saída do país do TPP é "uma grande coisa para os trabalhadores americanos", enfatizou Trump.

Pouco depois de ganhar as eleições em 8 de novembro, Trump antecipou em um vídeo que uma de suas primeiras ações após ser empossado seria emitir uma "notificação de intenção" para retirar o país do TPP, acordo que "é um desastre potencial" para os Estados Unidos, conforme afirmou.

O TPP foi negociado pelo governo do ex-presidente Barack Obama, que fez desse acordo uma de suas prioridades em matéria comercial e dentro de sua estratégia para aprofundar os laços com a região da Ásia-Pacífico. Durante a campanha eleitoral, tanto Trump quanto sua rival democrata pela presidência, Hillary Clinton, se mostraram contrários ao acordo.

Após o ato de hoje no Salão Oval, o influente senador republicano e ex-candidato presidencial John McCain emitiu um comunicado denunciando que a decisão de sair do TPP é "um erro grave" com "consequências duradouras para a economia americana" e a "posição estratégica" do país na Ásia-Pacífico.

O TPP, cuja negociação levou mais de seis anos e foi assinado no início de 2016, está em processo de ratificação nos Parlamentos dos países signatários para entrar em vigor. Apesar da promessa de Trump de tirar o país do pacto, alguns de seus membros assinalaram disposição de continuar com ele.

Alguns jornais tinham antecipado que Trump também assinaria hoje outra ordem para iniciar a renegociação do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (NAFTA), assinado com o Canadá e México há pouco mais de 20 anos, algo que finalmente não aconteceu. No entanto, em um ato na Casa Branca ontem, o presidente confirmou sua intenção de iniciar em breve a renegociação do NAFTA com o líder mexicano, Enrique Peña Nieto, com quem se encontrará no próximo dia 31, e com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, com quem se reunirá em breve.

Além da ordem sobre o TPP, Trump assinou hoje outra que proíbe o uso de fundos governamentais para patrocinar grupos que pratiquem ou assessorem o aborto no exterior e uma terceira para congelar as contratações do governo federal, exceto a das Forças Armadas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos