Contra Trump, ex-secretária de Estado ameaça registrar-se como muçulmana

Em Washington

  • Jason Kempin/AFP

Madeleine Albright, a primeira mulher a liderar o Departamento de Estado dos Estados Unidos, ameaçou nesta quinta-feira registrar-se como muçulmana a fim de boicotar o decreto que está sendo preparado pelo presidente Donald Trump para restringir a entrada de habitantes de países com população muçulmana.

"Fui criada como católica, me transformei em anglicana e descobri mais tarde que minha família era judia. Estou pronta para registrar-me como muçulmana em solidariedade", escreveu Albright em sua conta no Twitter.

As declarações de Albright, secretária de Estado entre 1997 e 2001, são publicadas depois que vários veículos de comunicação americanos informaram que Trump prepara-se para assinar uma ação executiva que dificultará a entrada nos EUA de estrangeiros que provenham de nações "propensas ao terrorismo".

A minuta dessa ação executiva, publicada pelo portal "Vox" e vazada também a outros veículos de comunicação, como o jornal "The Washington Post", foi elaborada para "proteger a nação de ataques terroristas de estrangeiros".

A minuta deste decreto estabelece que, em um prazo de 30 dias desde a entrada em vigor da ordem, deve suspender-se a entrada aos Estados Unidos dos cidadãos de uma série de países, como Irã, Sudão, Síria, Líbia, Somália, Iraque e Iêmen.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos