Escritor é condenado a prisão na Arábia Saudita por incitar protestos

Cairo, 26 jan (EFE).- O escritor Nadhir al Majid foi condenado a sete anos de prisão por participar de manifestações e incitar a realização de protestos na Arábia Saudita, informou nesta quinta-feira o Centro do Golfo para os Direitos Humanos (CGHR).

Majid foi condenado na semana passada, em um julgamento no qual não foi permitido estar acompanhado de seu advogado, e enviado à prisão de Al Hair, em Riad, capital do país, de acordo com a ONG.

Os promotores sauditas acusaram o escritor de desobediência, participação e incitação a protestos e por manter contatos com correspondentes estrangeiros.

Majid já tinha passado cinco meses preso em 2011, depois de ter escrito um artigo intitulado "Protesto, depois existo". Durante o período detido, o escritor sofreu maus tratos e chegou a ficar em regime de isolamento, de acordo com a CGHR.

O GCHR pediu que as autoridades sauditas retirem as acusações e libertem Majid, assim como outros ativistas de direitos humanos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos