Trump adia assinatura de decreto que visa investigação de fraude nas eleições

Washington, 26 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, adiou a assinatura de uma ordem executiva marcada para esta quinta-feira e cujo objetivo é impulsionar uma investigação sobre a suposta fraude eleitoral da qual ele se disse vítima no pleito que o elegeu, embora sem apresentar provas.

"O presidente voltou um pouco tarde e se atolou em algumas reuniões que tinha que realizar. Desta forma, vamos passar tudo isso na sexta-feira ou no sábado", disse o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, ao ser perguntado pelo grupo de jornalistas que acompanha hoje a comitiva presidencial.

Com o decreto, Trump pretende esclarecer se houve uma fraude nas eleições de novembro do ano passado. O presidente americano afirmou nos últimos dias que até 5 milhões de pessoas sem documentos votaram, e por isso sua concorrente, a democrata Hillary Clinton, ganhou no voto popular por 2,8 milhões de votos de diferença - Trump levou a melhor no sistema de colégio eleitoral.

No entanto, grandes companheiros de partido, como o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano Paul Ryan, insistiram que "não há evidência alguma" de que tal fraude tenha ocorrido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos