Sudão lamenta medidas de Trump e pede que EUA tirem país de lista terrorista

Cartum, 28 jan (EFE).- O governo do Sudão lamentou neste sábado que as novas medidas migratórias aprovadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, incluam o país africano e pediu que o governo americano o retire da lista de nações que apoiam o terrorismo.

Trump assinou uma ordem para proibir temporariamente a entrada nos EUA de cidadãos de sete países de maioria muçulmana - Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irã e Iêmen - para impedir a chegada de supostos terroristas.

O veto às viagens dos sudaneses coincide com a suspensão de uma série de sanções econômicas impostas ao Sudão anunciada pelos EUA na semana passada, segundo especificou o Ministerio das Relações Exteriores do Sudãoem comunicado.

A suspensão das sanções foi resultado de "um frutífero e prolongado diálogo e cooperação entre os dois países, especialmente nas áreas de antiterrorismo", acrescentou a nota.

Por isso, o Sudão pediu "a eliminação imediata" de seu nome da lista de países patrocinadores do terrorismo. O Sudão afirmou que manterá sua política de "relações construtivas" com os EUA e garantiu que continuará a dialogar com o governo americano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos