Deputados iraquianos pedem resposta recíproca a veto dos EUA

Bagdá, 29 jan (EFE).- Alguns deputados iraquianos pediram neste domingo ao governo do país uma resposta de forma recíproca ao veto de entrada aos Estados Unidos para cidadãos do Iraque, assim como de outros países muçulmanos, imposto pelo presidente Donald Trump.

Um integrante do Comitê de Relações Exteriores do parlamento, Hanan al Fitlaui, disse em entrevista coletiva na capital, Bagdá, que esse grupo rejeita a decisão de Trump e a considerou "maus-tratos ao Iraque".

A medida adotada por Donald Trump "é contra as leis internacionais e os direitos humanos", na opinião do parlamentar.

"Queremos ter relações boas e equilibradas com os países que colaboram com o Iraque na guerra contra o terrorismo", acrescentou Fitlaui.

Ahmad al Jabouri, também integrante do Comitê de Relações Exteriores, disse que o grupo "pediu ao governo e ao Ministerio das Relações Exteriores uma postura que respeite a dignidade dos iraquianos".

A ordem de Trump suspende durante 90 dias a concessão de vistos de entrada a todos os cidadãos de Iraque, Síria, Irã, Sudão, Líbia, Somália e Iêmen até que sejam adotados novos processos de apuração, além de frear todo o amparo de refugiados durante 120 dias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos