Prefeito de Londres tacha política migratória de Trump de "vergonhosa"

Londres, 29 jan (EFE).- O prefeito de Londres, Sadiq Khan, qualificou neste domingo como "vergonhosa" e "cruel" a política migratória do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que nega o ingresso nesse país de refugiados e imigrantes de várias nações com população muçulmana.

Em uma crítica declaração postada em sua conta no Twitter, Khan, o primeiro muçulmano a chegar à prefeitura da capital britânica, disse que as medidas de Trump prejudicam "os valores de liberdade e tolerância sobre os quais os Estados Unidos foram construídos".

O prefeito acrescentou que a nova política migratória dos EUA - que proíbe a entrada de cidadãos com passaportes de Iraque, Síria, Irã, Sudão, Líbia, Somália e Iêmen - prejudica britânicos que têm dupla nacionalidade com esses países.

"Os EUA têm uma orgulhosa história de receber e acolher refugiados. O presidente não pode dar as costas a esta crise global, todos os países têm que assumir sua parte", acrescentou.

"Apesar de cada país ter o direito de estabelecer suas próprias políticas de imigração, esta nova política é contrária aos valores de liberdade e tolerância sobre os quais os EUA foram construídos", prosseguiu o prefeito do Partido Trabalhista.

Além disso, Khan expressou sua satisfação pelo fato de a primeira-ministra britânica, Theresa May, também ter indicado que não está de acordo com as novas medidas do presidente americano.

Hoje, após o retorno de May da Turquia, a residência oficial de Downing Street informou que a premiê não estava de acordo com o veto temporário imposto por Trump à entrada de cidadãos e refugiados de vários países de maioria muçulmana.

Downing Street emitiu essa declaração após ter recebido críticas, inclusive de posições conservadoras, por não ter criticado a decisão adotada por Trump.

Em entrevista coletiva na Turquia, May se limitou a dizer que a política de imigração de Washington era competência desse país

"A política de imigração nos Estados Unidos é uma questão do governo dos Estados Unidos, assim como a política de imigração para este país deve ser estabelecida por nosso governo", disse um porta-voz oficial na declaração.

"Mas não estamos de acordo com este tipo de enfoque e não é o que nós vamos adotar", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos