Polícia do Canadá desconhecia suspeitos de ataque à mesquita no Québec

Toronto (Canadá), 30 jan (EFE).- A Polícia do Canadá disse nesta segunda-feira que os dois indivíduos suspeitos de cometer o atentado contra uma mesquita do Québec na noite de ontem, detidos pouco depois do ataque, não eram conhecidos pelas autoridades.

Os responsáveis da Polícia Montada do Canadá e da Polícia do Québec confirmaram durante entrevista coletiva realizada hoje que os dois detidos suspeitos de participar do ataque, que deixou seis mortos e oito feridos, cinco deles em estado crítico, são homens com idades entre 20 e 30 anos.

O superintendente da Polícia Montada do Canadá, Martin Plante, se negou a dar detalhes sobre a identidade, motivos e origem dos dois suspeitos. Ele se limitou a assinalar que há "processos legais" em andamento, o que impede que ele faça comentários sobre o assunto.

Plante também disse que as autoridades ainda não sabem os motivos do ataque. Os primeiros-ministros do Canadá, Justin Trudeau, e do Québec, Phillipe Couillard, classificaram a ação como um "ato terrorista" contra a minoria muçulmana da cidade.

A Polícia Montada do Canadá disse que as investigações acabaram de começar e não quis comentar a possibilidade de mais pessoas estarem envolvidas no ataque. No entanto, ressaltou que a ameaça está "sob controle".

A Polícia do Québec informou que aumentou a presença de agentes nas mesquitas da província, assim como na Université Laval, próxima ao local onde ocorreu o ataque e onde estudam muitos jovens procedentes de países árabes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos