Cairo condena ataque do Louvre, mas não confirma se terrorista é egípcio

Cairo/Riad, 4 fev (EFE).- O Egito condenou neste sábado o ataque ocorrido ontem junto ao Museu do Louvre de Paris, onde um homem atacou com facões um grupo de militares e acabou sendo baleado por um dos soldados, mas não fez referência às suspeitas de que o agressor é de nacionalidade egípcia.

O Ministério das Relações Exteriores egípcio condenou em comunicado o atentado terrorista na capital francesa e ressaltou que "o governo e o povo do Egito lutam com o governo e o povo francês contra o terrorismo".

Além disso, pediu que a comunidade internacional "redobre seus esforços contra esse perigoso fenômeno" que afeta a segurança e a estabilidade dos Estados e "aterroriza os inocentes".

No entanto, a nota não confirmou nem desmentiu as suspeitas de que o terrorista é um jovem de nacionalidade egípcia, como apontaram os veículos de comunicação franceses.

O homem de 29 anos, que levava dois facões militares de 40 centímetros cada um, tinha entrado na França no último dia 26 de janeiro, tinha permissão de residência emiratense e uma passagem de volta para este domingo, segundo a polícia francesa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos