China pede a Trump que não se intrometa em disputas de soberania com o Japão

Pequim, 4 fev (EFE).- O governo da China pediu aos Estados Unidos que não se intrometa em suas disputas de soberania com o Japão, depois que o novo secretário de Defesa americano, James Mattis, reafirmou o compromisso de Washington com Tóquio em matéria de alianças defensivas.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês Lu Kang pediu ao governo de Donald Trump para que deixe de "fazer comentários errados" sobre as ilhas Diaoyu, pelas quais Tóquio e Pequim mantêm um conflito de soberania, publicou ontem à noite a agência oficial "Xinhua".

Durante a visita de Mattis ao Japão na sexta-feira, a primeira viagem que realiza um membro do gabinete de Trump e que incluiu também uma parada na Coreia do Sul, o secretário de Defesa reiterou o compromisso dos EUA com a defesa dos territórios sob controle administrativo japonês, incluindo as ilhas em disputa, segundo a imprensa japonesa.

"Pedimos aos Estados Unidos para que tome uma atitude responsável, deixe de fazer comentários errados sobre a soberania das ilhas Diaoyu (chamadas Senkaku pelo Japão) e evite complicar mais o assunto ou provocar instabilidade na região", afirmou o porta-voz chinês a respeito.

O conflito pelas ilhas Diaoyu/Senkaku, que remonta a 1895 (após a primeira guerra sino-japonesa), se recrudesceu nos últimos anos pelo fato de que em setembro de 2012 o Japão nacionalizou o solo de três delas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos